Lean nas Emergências

Sobre

Array ( [show_heading] => 1 [variation] => [alignment] => [title] => O que é o projeto Lean nas Emergências? [subtitulo_check] => 1 [subtitle] => O Lean nas Emergências é um Projeto do Ministério da Saúde implementado pelo Hospital Sírio-Libanês, para reduzir a superlotação nas urgências e emergências de Hospitais públicos e filantrópicos. )

O que é o projeto Lean nas Emergências?

O Lean nas Emergências é um Projeto do Ministério da Saúde implementado pelo Hospital Sírio-Libanês, para reduzir a superlotação nas urgências e emergências de Hospitais públicos e filantrópicos.

Esse projeto faz parte do PROADI-SUS, que é o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde e o Lean foi aprovado para o triênio de 2018 a 2020.

Mas a iniciativa teve início em agosto de 2017, quando atuamos em 6 instituições públicas de saúde, o que chamamos de Ciclo 0 do projeto, onde treinamos os Hospitais e auxiliamos na implementação de melhorias para garantir agilidade e eficiência nos processos.

Os Hospitais selecionados para o Ciclo 0 foram: Hospital Geral de Palmas (TO), HUGOL – Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (GO), Hospital Metropolitano Odilon Behrens (MG), Hospital Regional São José (SC), Hospital Geral do Grajaú (SP) e Hospital de Messejana (CE).

As indicações para participação no projeto acontecem em ciclos, a cada seis meses e são um consenso entre Ministério da Saúde, do (CONASS) Conselho Nacional de Secretários de Saúde e do (CONASEMS) Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. Após as indicações, os Hospitais são selecionados com base em critérios de elegibilidade estabelecidos para o projeto, como por exemplo, ter uma quantidade mínima de leitos.

Para executar este projeto, o Hospital Sírio Libanês conta com uma equipe altamente especializada, composta de médicos, enfermeiros e especialistas na metodologia Lean.

O Lean é uma filosofia de gestão para melhoria de processos baseado em tempo e valor, desenhada para assegurar fluxos contínuos e eliminar desperdícios e atividades de baixo valor agregado.

Em maio/2018, 10 Hospitais ingressaram no Ciclo 1 do projeto. São eles: Hospital Geral de Roraima (RR), Hospital da Cidade de Passo Fundo (RS), Hospital Universitário Estadual de Londrina (PR), Hospital de Clínicas de Uberlândia (MG), Hospital do Trabalhador (PR), Instituto Hospital de Base do Distrito Federal (DF), Hospital Regional de Ceilândia (DF), Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves (ES), Hospital Geral de Guarulhos (SP) e Santa Casa de São Paulo (SP).

Em novembro/2018, mais 20 Hospitais de todo Brasil ingressaram no Ciclo 2 do projeto. São eles: Hospital Geral do Estado de Alagoas (AL), Hospital Municipal de Salvador (BA), Hospital do Subúrbio (BA), Hospital Roberto Santos (BA), Hospital Geral Dr. César Cals (CE), Hospital Regional de Taguatinga (DF), Hospital Antônio Bezerra de Farias (ES), Hospital Est. Urgência e Emergência (ES), Hospital Mun. Dr. Clementino Moura (MA), Hospital das Clínicas de UFMG (MG), Santa Casa de Montes Claros (MG), Hospital Ophir Loyola (PA), Hospital Agamenon Magalhães (PE), Hospital de Urgência de Teresina (PI), Santa Casa de Londrina (PR), Hospital Univ. do Oeste do Paraná (PR), Hospital de Clínicas de Porto Alegre (RS), Associação Hospitalar Vila Nova (RS), Hospital Regional Hans Dieter Schmidt (SC) e Hospital Municipal São José (SC).

Após selecionado o Hospital, iniciamos a intervenção, fase onde uma dupla de profissionais do Hospital Sírio-Libanês (um médico e um especialista de processos) realizam visitas aos Hospitais selecionados para capacitar as equipes, identificar oportunidades e implementar ações de melhoria, de acordo com as ferramentas da metodologia Lean. Essa fase dura em média 6 meses e após o término desse período, a equipe de controle do projeto acompanha os resultados por mais 12 meses para garantir a manutenção a longo prazo.

Algumas ferramentas que utilizamos são:


​​​​​​​​​​​​
Ao final de 2020, fim do triênio, a meta é atingir até 100 serviços de emergência com o Lean, mais de 450 profissionais treinados e 180 protocolos clínicos. “A contribuição do Sírio-Libanês para a melhoria da saúde pública no país faz parte do seu compromisso social, da sua missão de compartilhar seu conhecimento para promover gestão em assistência hospitalar, excelência em atendimento e saúde para o povo brasileiro”, diz Dr. Paulo Chapchap, Diretor Geral do Hospital Sírio-Libanês.